SHC2010 – Meu relato

Bem, voltando aos posts, irei explicar e fazer meu relato sobre a SuperHeroCon, evento de Anime/Mangá e cultura pop japonesa que ocorreu no ultimo final de semana aqui em Recife, e tomou a maior parte do meu tempo do final de semana.

O evento, que ocorre todos os anos, reúne a maioria dos fãs de cultura japonesa/anime/mangá/comics/games daqui de Pernambuco (e de até outros estados, pois tem muitas caravanas), aconteceu nos ultimos dias 31 de Julho e 01 de Agosto, no Centro de Conveções da Universidade Federal de Pernambuco, e contou com a participação de muita, mas muita gente mesmo.

O sábado, que tradicionalmente é o dia em que vai pouca gente ao evento, teve um público superior aos outros sábados das edições anteriores do evento, e teve a participação do dublador Wendel Bezerra (Dubla o Bob Esponja, o Goku, entre muitos outros), um concurso de Kame-Hame-Ha mediado pelo mesmo (no qual um garotinho que devia ter no máximo 5 anos de idade vençeu!), Um mini-show + entrevista de um cantor japonês de músicas de anime e campeonato de games (os do sábado foram Guitar Hero World Tour e Pokemon do DS), fora as atrações principais, que são os cosplayers que irão ao evento, as lojinhas que vendem artigos que todo fã se baba, concurso de Karaokês e outras coisas.

O domingo tradicionalmente é o melhor dia, pois vai mais gente, tem as melhores atrações, as caravanas vão nesse dia (e quantas caravanas, notei bem uns 15 ônibus só de caravanas do interior do estado e outros estados, fora as vans e mini-vans que estavam estacionadas por lá), e as filas são maiores. Sim, quando cheguei, umas 10 horas, tinham muita gente, a fila estava imensa, dando voltas pelo centro, e a confusão tava armada: pessoas furando fila, desorganização nas próprias filas, bilheteria lenta, seguranças rudes e mal-educados… Após passar quase uma hora na fila (isso por que fiquei no lugar de um amigo que já estava nela) consegui comprar meu ingresso e entrar no evento.

Após romper a barreira da entrada, me deparo com o salão circular do CC/UFPE lotado, como eu previ logo quando cheguei, tinha muita gente, mais que nos anos anteriores, e o espaço era o mesmo, ou seja, tava apertado de caminhar, mas nada como o Galo da Madrugada. Como minha câmera havia morrido no dia anterior, fiquei com a da minha prima emprestada, e começei a tirar fotos do evento, das filas, da entrada, do local, e principalmente dos cosplays que estavam por lá. Tinham muitos, deu pra ver, fora os que não conhecia, cosplays de personagens de Fairy Tail, Naruto, Bleach, Full Metal Alchemist, Pokemon, Street Fighter, King of Fighter, Os Caça Fantasmas, X-Man, um Batman mirim, uma Niele de Holy Avenger, um grupo de vilões da Disney, um Power Ranger verde, um Ultramam, muitos de Dragon Ball entre outros, só não exagerei nas fotos pois não dominavam a câmera, e a bateria da mesma estava quase indo para o limbo.

Na sala de games, comandada pela conhecida Extreme Fight Zone, rolava pela manhã um torneio de Tekken 6 e, pela tarde, o esperado torneio de Super Street Fighter IV, que, embora eu não tenha participado de nenhum dos dois, me disseram que foi divertido e disputado. Outro local que me interessou e foi muito bem bolado foi a VideoGame History, um local onde poderia-se jogar os video games clássicos, como Nintendinho, Super Nintendo, Master System, Mega Drive, SEGA Dreamcast, PSOne e ATARI; Bom foi ver um senhor, pai de duas criancinhas, se divertindo jogando Enduro no ATARI.

Não vi o concurso de AMVs, mas vi o desfile e as apresentações de cosplay, que, na categoria grupo, foi vencido pelos vilões Disney, com o grupo de Age of Empires em segundo lugar. Na categoria individual, foi vencido pela Jéssica Schmitz, que fez uma impecável apresentação da Lucy de Fairy Tail (anime que eu ainda pretendo assistir).

Após isso, e após eu comprar um pacote de Sleeves e dois Boosters de Magic, the Gathering, houve shows de dois cantores japoneses, Kouji Wada e Takaioshi Tanimoto. Nãov i os shows, mas quem viu relatou que foram muito bons, com o Kouji Wada cantando uma musica especial pra Recife e em Português, japonês aportuguesado, deve ter sido.

Finalizando, para mim, gostei do evento, mas os problemas com a segurança, as filas, e a ideia que tiveram de proibir a entrada com água e comida devem ser revistos, assim como garantir desde já um novo local para o mesmo, já que acredito que com o crescimento do evento o CC/UFPE não o suporte mais, apesar de ser um local adorável e meio “central”.

Anúncios