Marinho Entrevista Sobre o Tema – Kpop – Parte 3

Boa noite pessoal, conforme combinado, trago aqui mais um post da série de entrevistas realizadas por mim sobre o Kpop, o gênero musical que vem ganhando cada vez mais e mais adeptos em terras brasileiras. E nada melhor do que entrevistar os próprios kpoppers nacionais sobre esse gênero diferente e, ao mesmo tempo, cativante.

No post de hoje, conferiremos mais três entrevistas, a da Carol Kunzler, da Melissa Silva e do Gabriel Coelho. As entrevistas estão publicadas na íntegra, no máximo com uma correção de concordância nominal e/ou verbal.

1 – Bem, em primeiro lugar, se apresente, diga seu nome, de onde é (não vamos lhe sequestrar), sua idade, qual a sua profissão e etc.

Carol Kunzler: Caroline Künzler, Recife-PE, 22 anos, Estudante de Expressão Gráfica.

Melissa Silva: Meu nome é Melissa, tenho 14 anos, sou de Osasco – São Paulo, eu não tenho profissão, ainda. Como minha idade mostra, estou na escola (se você deduziu isso é muito bom), 1º ano Médio, mesmo se eu disser onde estudo ninguém vai saber onde é porque nem o Google sabe onde é –‘

Gabriel Coelho: Bem, meu nome é Gabriel, tenho 14 anos (muito novo e-e’). Moro em Fortaleza-CE,minha vida não é tão interessante, sem muito oque falar vamos para próxima pergunta. 😉

2 – Como conheceu o Kpop? Foi por indicação, procura voluntária, foi ameaçado a ouvir e gostou? conte-nos a sua primeira experiência nesse estilo musical.

CK: Conheci K-pop atravez de uma amiga que descobriu o K-pop e vivia me pertubando mandando os MVs, ai um dia resolvi assistir e foi paixão a primeira vista! hsuahsausuahsuah XD

MS: Conheci pela minha melhor amiga, ela me mostrou alguns MVs do grupo SNSD e de outros grupos também (como o BigBang ao qual ela me ameaçou, e agora sou realmente apaixonada por eles u.u), bem, eu gostei bastante e acabei entrando nesse mundo ao qual não quero sair mais. A minha primeira experiência foi ouvindo Gee das SNSD, e que foi difícil reconhecê-las, é, foi quase impossível, agora é a coisa mais fácil do mundo (me achando).

GC: Foi bem inusitado, eu estava no shopping até que acabei passando por uma loja de eletrônicos, 3 TV’s gigantes de LCD estavam passando um MV de uma banda de garotas coreanas (soshi haha, MV de Oh!), fiquei curioso e acabei assistindo o resto. Chegando em casa, comessei a difícil tarefa de descobrir quem  eram elas,passei cerca de 2 horas no google e youtube para encontrar algo, haha.Consegui achar o MV de Kissing You, que a partir dele achei o de Oh!. Desde então tenho que tomar minha dose de K-Pop diária. Haha.

3 – Para você, quais são as principais diferenças entre o Pop coreano e o Pop ocidental? Qual dessas particularidades você considera marcante para o estilo da música e dos grupos/artistas? Existe alguma caracteristicas no Kpop que você não gosta/não concorda?

CK: O que eu observo no Pop coreano é que eles não se restrigem a só um estilo músical, pois eles gostam de misturar varios estilos para criar um novo; Já o Pop ocidental não gosta de misturar estilos. E é isso que me atrai nos grupos/artistas coreanos por que nun CD tanto pode ser uma batida mais lenta ou uma mais agitada com mesclas de estilos e conceitos.

MS: As principais… Bem, não só na Coreia, mas em muitos outros países Asiáticos, a música é o que chamamos de “alma”, para os Coreanos, a música é fonte não só de Arte, quanto de religião, quanto de costume, quanto também de dinheiro. Não há uma pessoa lá na Coreia que não goste de KPOP, até os mais poderosos, os mais respeitados, conhecem e gostam do Pop Coreano, nos países ocidentais… Vejamos, comparemos a Coreia com os Estados Unidos e o Brasil, como na Coreia, os E.U.A considera a música uma fonte de ‘comércio’ que rende um bom dinheiro, mas na Coreia valorizam o talento desses cantores, não só na música quanto na dança, e se comparar com o Brasil, não damos valor ao talento de muitas pessoas que são extraordinárias musicalmente, hoje em dia aqui, qualquer letra, qualquer ritmo, é considerado música.

Na Coreia os grupos são escolhidos à dedo, como disse, eles valorizam demais o talento e a beleza, isso é uma grande diferença, pois lá, a pessoa pode ser perfeita e eles querem que ela fique ainda mais, a beleza, a magreza, o talento, são chaves fundamentais para fazer sucesso na Coreia do Sul, já aqui e nos E.U.A não é algo tão ‘rígido’, qualquer um que tenha uma boa voz, uma boa criatividade, podendo ser gordo, magro, alto, baixo pode fazer sucesso aqui, basta cantar uma música ‘Chiclete’ haha. Há muitas diferenças entre o Pop Coreano e o Ocidental, talvez seja pelo Kpop ser tão diferente do que estamos acostumados a ouvir, apesar de haver batida, e serem, muitas vezes, ‘chicletes’, como as músicas Ocidentais, há muitas diferenças entre os dois estilos, e eu sempre fico estupefata pelo fato deles saberem juntar tão bem letras Coreanas e com certas palavras em inglês, que ao acaso rimam, ou façam sentido, é realmente incrível. Não há algo que eu não goste no KPOP, talvez o fato deles seguirem o estereótipo da magreza e da perfeição me irrite, pois se uma pessoa tem uma voz maravilhosa, mas é gorda, acaba que não fazendo sucesso lá, é um efeito negativo.

GC: O Pop Ocidental é meio que “repetitivo”, pois não há nada de novo na música,já no Oriental, sempre com uma certa pureza nas músicas, sem precisar apelar para algo sensual, consegue atrair as pessoas. Adoro como conseguem criar rimas, que mesmo sem eu entender nada, acabo cantando junto.

4 – Você conhece/escuta o Pop japonês? Se sim, quais as diferenças/semelhanças deste para o Kpop na sua opinião? E qual o motivo para o Kpop ser bem aceito em terras japonesas?

CK: Sim eu escuto tanto Pop japonês como Pop coreano, mas nunca parei pra pensar se eles tem uma diferença. Eu acredito que não pois acho os dois bem ecléticos.

MS: Não escuto muito. Mas para mim Pop Coreano ganha do Japonês de lavada, respeitando quem gosta de Pop Japonês claro, mas para mim JPOP não faz sentido, eles tentam seguir a ‘onda’ Coreana mas não conseguem, os Japoneses não tem as técnicas Coreanas para escolher, para colocar no mercado, para vender e para mostrar. E outra, JPOP não tem qualidade, sou muito mais JRock…. Por isso o KPOP é tão aceito, pois o JPOP não conseguem seguir esse ritmo do KPOP, assim não ganha qualidade, então, por não conseguir uma característica por si só, os Japoneses preferem trazer a boa musica Coreana em versões Japonesas, ou talvez fazem contratos com esses grupos para músicas Japonesas Inéditas, e ganham com isso, não digo que ganham só em dinheiro, eles ganham em tudo, eles ganham em aprendizado, em conhecimento de outras culturas, e o bom é que os Coreanos também ganham.

GC: Sim escuto, os dois tem um estilo bem parecido.Acho que pelo fato do K-Pop e do J-Pop serem bem parecidos, há uma boa aceitação em terras japonesas.

5 – Na sua opinião, com a crescente quantidade de grupos que debutam a cada ano, o Kpop corre risco de ficar “saturado” ? O que, na sua opinião, as companhias poderiam fazer para evitar/amenizar esse risco?

CK: Eu não sei dizer ao certo se isso pode acontecer, pois acho que cada grupo tem seu estilo proprio e existe consumidores para eles. Mas acho que não se deve descartar essa hipótese. Pra evitar isso acho que eles deveriam investir mais em seus grupos/artistas que ja debutaram ao invés de lançar gente nova no mercado.

MS: Acho que não, pois sempre houve grande quantidade de grupos na Coreia, e eles sabem lidar com isso. Tanto que não são todos os grupos que ficam juntos por muito tempo, há sempre grandes mudanças, como por exemplo o U-Kiss que tiraram dois membros antigos para por outros dois novos, eles lidam com esse crescimento de formas diferentes, só acho que estão seguindo o esquema Americano e estão parando de ser rígidos, claro, há muitos grupos novos talentosos, mas também há muitos outros que não tem o talento que antes as agências sempre procuravam. As agências, pelo menos a YG busca cantores/grupos que durem bastante, a SM também, e as duas agências buscam modos de fazer com que esses grupos não sejam esquecidos, como mudar conceitos e bla bla. O que ajuda e prejudica os grupos.

Talvez se as empresas pensassem em um jeito, de não a ser rígidas, mas que buscassem por talentos merecedores, vozes incríveis e danças incríveis, talvez a quantidade caia, pois como falei, há muitos grupos que debutaram a pouco, e que não têm um talento comparado à tantos outros grupos que também debutaram a pouco tempo.

GC: Claro, sempre pensei isso. Acho que deveriam se preocupar mais com os grupos já existentes, procurando sempre novos.

6 – O Kpop tem garantido também, vários fãs fora do território coreano, até mesmo fora do território asiático. O que o Kpop tem que cativa fãs de diferentes países fora da Ásia?

CK: Sinceramente eu não sei! Só sei que me cativou. Pode ser que o meu interesse esteja vinculado ao fato da cultura asiatica me interesar.

MS: Tem o esquema Chiclete haha, a letra gruda, mesmo que você não saiba cantar coreano, você vai na enrolação e se empolga, isso, a música coreana muda de várias maneiras as suas emoções, exemplo, ouve ‘Gee’ das SNSD e você ficará animada(o) e fofa(o), ouça ‘Haru haru’ do BigBang e você ficará emocionada(o), ouça ‘Supa Luv’ do Teen TOP e você ficará eletrizada(o), as músicas Coreanas são diferentes, grudam e mexem com você.

GC: Acho que a pureza com que se trata a música, sem apelar para o lado sexy do grupo faz com que seja adorada por todos.

7 – Qual o seu Kgroup/Ksinger favorito? E o porquê de você gostar mais dele(a) do que os demais?

CK: Bem como o primeiro grupo que eu escutei foi DBSK eles são o meu grupo favorito. O porque eu gostar mais deles do que de outro grupo é que foi por causa deles que eu comecei a gostar de K-pop. (não vejo outra explicação)

MS: Meus Kgroups favoritos são as Girls’ Generation ou So Nyuh Shi Dae, por ser o grupo que desencadeou esse meu amor pelo KPOP, elas como pessoas são diferentes, engraçadas, erram, acertam, são normais como todos nós, e no palco, como cantoras e dançarinas, elas demonstram que têm talento, e que está lá para mostrar isso, todas elas tem garra, força e lutaram para estar onde está. Também tem o BigBang e o Teen TOP, pelo mesmo motivo da SNSD, eles são pessoas como nós, são engraçados, divertidos, choram, erram, e quando estão no palco, demonstram todo o talento que eles tem, eles são grupos, são famílias, são amigos, não há brigas. E esses 3 grupos que citei tem enormes talentos, que só mesmo vendo para entender.

GC: Haha, claro que é Soshi. Acho que o carísma, a beleza (suas belas pernas haha) e as belaz vozes são algo marcante nelas. Claro que também gosto de outros grupos.

8 – O que você acha sobre os sites nacionais sobre grupos/cantores de Kpop e Kpop em geral?

CK: Eu adoro o fato de existirem esses sites pois é o unico meio que eu encontro de me manter informada do que acontece do outro lado do mundo.

MS: Eu tenho um, então acho muito legal, pois nem todos as amantes de KPOP sabem inglês, muito menos Coreano, tanto básico quanto fluente, então é sempre bom ter sites em seu país que fale sobre seu ídolo, na sua língua, pois nós, donos de blogs/sites, sabemos como é trabalhoso, mas também sabemos que nosso trabalho é recompensado, então é muito legal saber e ver o trabalho que muita gente faz para traduzir notícias e manter sempre atualizado o mundo de grupos/cantores de KPOP no seu país. (em falar nisso meu blog é o www.teentopbrazil.wordpress.com) – parei a divulgação –

GC: Bem, é dificil encontrar sites sobre K-Pop brasileiros, mas os existentes são sempre bem informados.

9 – Na sua opinião, o que falta, em termos de divulgação, para o Kpop ser mais “conhecido” no Páis Tropical, Abençoado por Deus, e Bonito por Natureza (vulgo Brasil) ? E o que falta para um grande show de Kpop em terras nacionais?

CK: Falta interesse mesmo dos meios de comunicação. Para acontecer um show aqui acredito que tem que haver uma maior divulgação para que se tome conhecimento sobre o K-pop, para que assim possa ocorrer a possibilidade de um show aqui. (O K-pop ja esta tendo divulgação aqui, mas precisa ser muito mais divulgado para haver interesse da parte dos coreanos quererem vir fazer shows aqui.)

MS: Precisamos acabar com o preconceito, pois os amantes de KPOP são conhecidos como estranhos por gostarem de uma língua totalmente diferente da nossa, ou por gostarem de pessoas com olhos puxados. Precisamos acabar com esse preconceito, e mostrar que o KPOP é tão bom, até melhor que o American POP, digamos assim, e para um grande show, precisamos de fãs então cada um liga o outro.

GC: A questão brasileira… Mesmo tendo uma grande quantidade de fãs, ainda há a falta de divugação. Bem, os programas de televisão, poderiam faser matérias como o Leitura Dinâmica, que na minha opnião foi ótimo.Me desculpe falar, mas um show de algum grupo K-Pop no brasil é quase impossível (quase, ok!).

10 – Pra finalizar, qual o integrante de grupo de Kpop (ou artista solo) é o seu favorito? (Se for de grupo, favor especificar o grupo ao lado do nome do artista)

CK: Meu favorito é o Yunho do DBSK!

MS: Vou falar dos 3 grupos que citei antes: SNSD – TaeYeon (Líder), BigBang – Choi Seung Hyun (TOP/Raper), Teen TOP – ChangJo (Dançarinho).

GC: HyoYeon (SNSD) Aaaaaaaaaaah, *grita*  Hyo é minha deusa, algum dia vou comprar uma de papelão e botar no meu quarto (ou banheiro haha).

Bom pessoal, o post ficou extenso, mas vai assim mesmo, mais uma vez quero agradecer aos três entrevistados pela paciência por terem respondido essa quantidade de perguntas, e que essa entrevista tem a finalidade de mostrar a todos os kpoppers brasileiros as opiniões de alguns desse grupo sobre determinados assuntos relacionados com o Kpop.

Se você tiver interesse em participar da entrevista, deixe seu comentário que entraremos em contato com você. Se tem críticas e/ou sugestões, deixe um comentário especificando.

Anúncios